CLIP: Fundação Ilídio Pinho oferece o primeiro aparelho no país do sistema “cardio on”

CLIP: Fundação Ilídio Pinho oferece o primeiro aparelho no país do sistema “cardio on”

 

Publicado em Jornal A Voz de Cambra, janeiro de 2017, página 05.

Cristina Maria Santos
cristinaavozdecambra@gmail.com

Serviço permite monitorizar estado de saúde de pacientes cardíacos

O Lar da Santa Casa de Misericórdia de Vale de Cambra tornou-se no final do ano de 2016, a primeira IPSS do país a disponibilizar um novo sistema de monitorização cardíaca, que permite controlar à distância e em permanência o estado clínico de doentes com insuficiência cardíaca. Oferecido pelo empresário valecambrense Ilídio Pinho e explicado pelo cardiologista João Guimarães, este foi considerado pelo provedor António Pina Marques, uma mais valia para a instituição.

O primeiro aparelho do sistema “cardio on” disponibilizado em instituições, fora do âmbito da saúde, foi oferecido pelo empresário Ilídio Pinho à Santa Casa da Misericórdia de Vale de Cambra, na presença do médico cardiologista João Guimarães, responsável pela implementação de um projeto que ainda está a dar os primeiros passos no país.

O sistema, indicado para doentes com insuficiência cardíaca, permitirá “monitorizar, controlar e avaliar à distância o estado clínico do doente e intervir rapidamente se for necessário”, disse o profissional de saúde ao jornal A Voz de Cambra. O aparelho instalado no Lar de Burgães permitirá ao corpo clínico desta Instituição – que recebeu formação neste sentido – responder no momento a qualquer alteração no estado clínico do doente, sem que tenha de deslocar ao hospital, contando para isso com o apoio e avaliação clínica dos profissionais de saúde que se encontram à distância de um clique de computador, através da internet. “Esta avaliação do momento pode fazer toda a diferença” no caso de um doente cardíaco, declarou o médico cardiologista. “Já tivemos diagnósticos de enfarte seis minutos depois de entrarem nas urgências, tendo sido antecipadamente detetados através deste sistema”, afirma João Guimarães que considera o eletrocardiagrama, um meio de diagnóstico “extremamente poderoso, na área do enfarte, angina do peito e arritmias mais complicadas”.

A central de leitura encontra-se a funcionar desde as 8h às 24h, sete dias por semana, com a presença de um profissional de saúde que lhe dá resposta. Esta tem sido uma “aposta ganha que está a crescer”, garante. O sistema já está a ser utilizado em 130 hospitais, clínicas e postos de colheita e o objetivo é chegar aos 500, explica. O aparelho foi oferecido à misericórdia pelo empresário valecambrense Ilídio Pinho que percebeu “o alcance deste projeto para a instituição”, afirma o médico cardiologista.

Vale de cambra é uma das regiões de eleição para este tipo de sistema, “indicado para doentes que vivem em zonas isoladas, longe dos hospitais de referência e zonas em que o diagnóstico não é tão fácil. Nas cidades não fará tanta diferença porque estão muito perto dos grandes hospitais”. Ilídio Pinho admite que esta sempre foi uma das suas preocupações enquanto valecambrense. “A saúde em Vale de Cambra preocupa-me e como tal, não consigo admitir que um doente que aqui se sinta mal, vá para o hospital, fique lá com a pusleira durante três horas à espera de ser atendido, quando pode estar em causa a sua própria vida”. Com este sistema, “em cinco minutos faz o eletrocardiograma e do lado de lá é-lhe dada uma resposta imediata”. O empresário admite que toda a população do interior, como é o caso deste concelho “devia beneficiar de um diagnóstico online e resolver os problemas na hora”.